First Class!

Olá pessoal!

Como solicitado pelo novo professor do quinto semestre da faculdade que nomeia esse blog, o Prof. Valente, esse aqui vai ser o espaço onde vou poder aprofundar e discutir os temas que vão ser apresentados em sala de aula, a cada uma delas.

No nosso primeiro encontro, ele se apresentou e falou que durante o semestre teremos de fazer alguns projetos. E ele falou sobre um assunto que já havia procurado e me interessado antes mas nunca coloquei em prática. E este seria o MAPA MENTAL.

Pra quem não conhece, mapas mentais é uma forma de você organizar seus pensamentos, idéias através de uma forma não-linear, através de imagens, cores e linhas se espalhando a partir de um tópico principal. Não entendeu? Então dá uma olhada:

 

Exemplo de Mapa Mental

 

Essa técnica é baseada em que nossas mentes não são acostumadas a pensar numa sequencia sempre, como a maneira que fazemos anotações num caderno. Nosso pensamento teria mais facilidade de armazenar a informações se forem apresentadas de um jeito como o mapa mental: de maneira mais criativa, com cores e se espalhando através do tópico em questão. No caso acima, o ponto principal é a administração do tempo. E a partir desse ponto, saíram espécies de sub-tópicos que seriam as informações mais relevantes ou importantes sobre ele e assim vai. O criador dessa técnica, Tony Buzan, já a utilizou diversas vezes como por exemplo na gerenciação de uma crise de uma empresa aérea, onde um mapa mental gigante ajudou a empresa a identificar diversos pontos em que eles poderiam e deveriam prestar mais atenção dentro dela.

Segue um pequeno vídeo de como se fazer um mapa mental.

 

 

Caso você se interesse ainda mais, há um livro do próprio Buzan que é bem prático e de leitura rápida onde é possível entender melhor sobre como fazer e organizar um mapa mental.

 

Outra curiosidade citada na aula que achei interessante foi, que alguns (repetindo ALGUNS) dos relógios de números romanos possuem o número quatro não como “IV” e sim como “IIII”. Observem:

 

Relógio Romano

 

 

Esse é só um exemplo, se procurarem por “Relógio Romano” no Google poderão encontrar muitos mais.

Bem, esse é um pequeno conjunto de coisas que foram apresentadas na primeira aula e que falei por aqui. Agora vamos em frente que teremos um semestre cheio pra postar coisas aqui.

Abraços.

Sobre Felipe Ricelle
Estudante de Marketing

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: